Preparação

  • O exame é, em princípio, realizado sob anestesia. Para isso o doente deverá ser observado previamente em consulta de anestesia e realizar alguns exames complementares: telerradiografia do tórax, eletrocardiograma e análises (hemograma, provas de coagulação e parâmetros bioquímicos). 
  • Informar o médico Gastrenterologista que lhe vai realizar o exame de toda a medicação que está a tomar, especialmente anticoagulantes (varfarina, acenocumarol, dabigatrano, rivaroxabano,...) ou antiagregantes plaquetares (ácido acetilsalicílico, ticlopidina, clopidogrel, triflusal, dipiridamol,...); a suspensão ou não dos mesmos depende das suas doenças cardiovasculares e do risco de hemorragia do procedimento a que vai ser submetido, pelo que essa decisão compete ao seu Médico Assistente
  • Informar o médico de eventuais alergias a medicamentos
  • Analisar a história de cirurgias abdominais prévias 
  • Planear o dia do exame (acompanhantes/familiares) – No dia do exame (ou na véspera conforme indicado) deve dirigir-se ao Hospital. Na maioria dos casos, o doente tem alta algumas horas após o exame, mas não poderá conduzir, pelo que deverá estar acompanhado. Em alguns casos, o procedimento pode implicar um internamento. 
  • Limpeza intestinal - Ingestão da preparação laxante e dieta líquida nos 2 dias que antecedem o exame. A limpeza intestinal está indicada quando o acesso ao intestino delgado é feito através do ânus. Existem várias preparações disponíveis, com diferentes sabores e volumes de água variáveis. Habitualmente a preparação deve iniciar-se na véspera do exame (no final da tarde) provocando dejeções aquosas progressivamente mais claras. A escolha da preparação deve ser adequada a cada doente, nomeadamente tendo em conta a presença de insuficiência renal. Cada produto é acompanhado do respetivo modo de preparação.  
  • Jejum de pelo menos 6 horas. Tratando-se de um procedimento em que se pretende visualizar de uma forma detalhada o intestino delgado é imprescindível não ter alimentos no lúmen intestinal. Sendo um exame habitualmente realizado sob anestesia é essencial assegurar que a cavidade gástrica não tenha líquidos ou resíduos alimentares que impeçam o procedimento ou aumentem o risco de aspiração. 
  • Deve ser portador do impresso relativo ao Consentimento Informado devidamente assinado.