Complicações

A Videocápsula é um procedimento seguro com poucos riscos associados. 
 
A principal complicação desta técnica é a retenção da videocápsula no tubo digestivo, que pode condicionar quadros de oclusão intestinal com necessidade de remoção cirúrgica. 
 
Na maioria dos casos a cápsula é expulsa nas fezes algumas horas ou até dias após a sua deglutição (até 2 semanas). Em casos raros (cerca de 1% dos doentes submetidos a este método) a cápsula pode ficar retida no tubo digestivo. Este risco é ligeiramente superior em doentes com Doença de Cröhn. 
 
Quando a retenção da cápsula além das 2 semanas não condiciona qualquer sintomatologia é lícito adotar uma atitude expectante, e esperar que a cápsula seja expelida naturalmente. Quando a retenção está associada a sinais e sintomas de oclusão intestinal a cápsula tem que ser removida. Dependendo da localização em que a cápsula ficar retida pode ser necessária uma intervenção cirúrgica para a sua remoção. Nos casos mais simples, a remoção pode ser feita com recurso à endoscopia digestiva alta, colonoscopia ou enteroscopia com balão.