Cancro do Cólon e Reto: A importância da história familiar

Estima-se que 10% da população adulta tenha pelo menos um familiar de primeiro grau (pai, irmão ou filho) afetado por cancro do cólon e reto (CCR). Sabe-se que a presença de uma história familiar se associa a um risco acrescido de desenvolvimento desta neoplasia maligna nos familiares de primeiro grau dos indivíduos afetados. De facto, cerca de 25% dos casos de CCR ocorrem em indivíduos com uma história familiar para esta neoplasia. 

Este risco acrescido parece ser função do número de parentes acometidos por esta doença e da idade em que o diagnóstico da neoplasia é efetuado, sendo superior nos indivíduos com um maior número de casos de CCR e com uma menor idade de diagnóstico de CCR na família.   

Assim, perante uma história familiar de CCR, cabe ao médico assistente avaliar o grau de risco a que o indivíduo está sujeito e propor ao seu utente o programa de vigilância adequado:

  1. Indivíduos com um familiar em primeiro grau com CCR ou com pólipos do colon, diagnosticado após os 50 anos – realização de fibrossigmoidoscopia (ou colonoscopia) de 5 em 5 anos, com início aos 40 anos de idade (10 anos mais cedo do que o proposto para a população sem história familiar desta neoplasia);
  2. Indivíduos com dois familiares afetados por CCR ou pólipos do cólon diagnosticados após os 50 anos, ou com um familiar com o diagnóstico antes dos 50 anos – realização de colonoscopia de 5 em 5 anos, com início aos 40 anos de idade ou 5 anos antes do caso de CCR ou pólipos do cólon diagnosticado em idade mais jovem na família;
  3. Para os indivíduos pertencentes a famílias de alto risco, com múltiplos casos de cancro na família, idades jovens no diagnóstico ou que possam preencher os critérios para as raras síndromas hereditárias de CCR (polipose adenomatosa familiar, síndroma de Lynch, ou polipose associada ao gene MYH) a avaliação deve ser efetuada de forma individualizada, em consulta especializada, já, que, para além da vigilância do cólon e reto poderá haver indicação para a realização de outros exames de rastreio ou para a realização de diagnóstico genético.

O Cancro do Cólon e Reto é uma doença frequente e que pode ser fatal. O diagnóstico precoce pode salvar a sua vida!

A história familiar de Cancro do Cólon e Reto é um dos principais factores de risco para o desenvolvimento desta neoplasia. Todos os indivíduos com um ou mais familiares de primeiro grau afectados por este tipo de cancro deverão efectuar um programa de rastreio adequado à sua história familiar.

Para outras informações consulte a Campanha Colorretal.