Mensagem do Presidente

Biénio 2015-2017

Doutor António Dias Pereira, Presidente da SPED

Rastreio do Cancro Cancro::Doença na qual as células se multiplicam sem controlo do organismo. As células cancerosas invadem os tecidos e orgãos adjacentes e disseminam-se para outras partes do organismo. do Cólon Cólon::Intestino grosso. e Reto Reto::Segmento final do intestino grosso, conduzindo ao ânus. – Esperanças e Preocupações

O Despacho nº 4771/2016 do Secretário de Estado Adjunto e da Saúde do passado dia 6 de Abril encerra as potencialidades da implementação a curto prazo do Rastreio do Cancro Cancro::Doença na qual as células se multiplicam sem controlo do organismo. As células cancerosas invadem os tecidos e orgãos adjacentes e disseminam-se para outras partes do organismo. do Cólon Cólon::Intestino grosso. e Reto Reto::Segmento final do intestino grosso, conduzindo ao ânus. de base populacional a nível nacional . O Presidente da Sociedade Portuguesa de Endoscopia Digestiva Endoscopia Digestiva::Procedimento que consiste na utilização de tubos flexíveis, com pontas manobráveis pelo executante, conhecidos como endoscópios, que permitem a visualização de imagens do tubo digestivo em monitores de televisão congratula-se com esta decisão política, reconhecendo que é ambiciosa pois pretende ter uma cobertura nacional total até ao final de 2017, através de ações a desenvolver pelas Administrações Regionais de Saúde nas suas áreas geográficas.

Por entender que o rastreio é a estratégia fundamental para a diminuição da mortalidade por Cancro Cancro::Doença na qual as células se multiplicam sem controlo do organismo. As células cancerosas invadem os tecidos e orgãos adjacentes e disseminam-se para outras partes do organismo. do Cólon Cólon::Intestino grosso. e Reto, Reto::Segmento final do intestino grosso, conduzindo ao ânus. desde há muito que a SPED tem desenvolvido ações na dupla vertente de informar a população da sua importância e vantagens e de alertar os poderes públicos para a necessidade urgente da sua implementação. 

O Despacho em questão é omisso em relação ao método de rastreio que vai ser implementado. No entanto, seja qual for a decisão, competirá sempre à Colonoscopia Colonoscopia::Exame completo do Cólon Cólon::Intestino grosso. com Colonoscópio. Colonoscópio::Instrumento flexível, tubular e com iluminação própria que permite examinar todo o interior do intestino grosso. Permite, igualmente, a recolha de pequenos fragmentos da mucosa (biopsias) para estudo microscópico. Proporciona um diagnóstico preciso da maioria das doenças que afectam o Cólon. Cólon::Intestino grosso. Permite, ainda, a realização de tratamentos, como seja a remoção de Pólipos Pólipos::Estrutura/Crescimento anormal que se desenvolve a partir do revestimento interno do tubo digestivo, fazendo saliência para o seu lúmen. Podem ocorrer em qualquer segmento mas são mais comuns no intestino grosso. (polipectomia). um papel fulcral no rastreio. Entendo que se colocam, no que a ela diz respeito, duas condições fundamentais que é necessário assegurar e auditar de modo contínuo: a acessibilidade e a qualidade. 

No que concerne à acessibilidade, preocupa-me que não exista uma informação fidedigna e atualizada sobre a capacidade instalada para a realização de Colonoscopia Colonoscopia::Exame completo do Cólon Cólon::Intestino grosso. com Colonoscópio. Colonoscópio::Instrumento flexível, tubular e com iluminação própria que permite examinar todo o interior do intestino grosso. Permite, igualmente, a recolha de pequenos fragmentos da mucosa (biopsias) para estudo microscópico. Proporciona um diagnóstico preciso da maioria das doenças que afectam o Cólon. Cólon::Intestino grosso. Permite, ainda, a realização de tratamentos, como seja a remoção de Pólipos Pólipos::Estrutura/Crescimento anormal que se desenvolve a partir do revestimento interno do tubo digestivo, fazendo saliência para o seu lúmen. Podem ocorrer em qualquer segmento mas são mais comuns no intestino grosso. (polipectomia). no nosso país. E que não seja avaliado o impacto que sobre ela vão ter as necessidades criadas pela implementação do Programa de Rastreio de base populacional.

No que concerne à qualidade, entendo que um Programa de Rastreio de Cancro Cancro::Doença na qual as células se multiplicam sem controlo do organismo. As células cancerosas invadem os tecidos e orgãos adjacentes e disseminam-se para outras partes do organismo. do Cólon Cólon::Intestino grosso. e Reto Reto::Segmento final do intestino grosso, conduzindo ao ânus. deve integrar mecanismos de auditoria da qualidade dos métodos utilizados, neles se incluindo os que dizem respeito à qualidade da Colonoscopia Colonoscopia::Exame completo do Cólon Cólon::Intestino grosso. com Colonoscópio. Colonoscópio::Instrumento flexível, tubular e com iluminação própria que permite examinar todo o interior do intestino grosso. Permite, igualmente, a recolha de pequenos fragmentos da mucosa (biopsias) para estudo microscópico. Proporciona um diagnóstico preciso da maioria das doenças que afectam o Cólon. Cólon::Intestino grosso. Permite, ainda, a realização de tratamentos, como seja a remoção de Pólipos Pólipos::Estrutura/Crescimento anormal que se desenvolve a partir do revestimento interno do tubo digestivo, fazendo saliência para o seu lúmen. Podem ocorrer em qualquer segmento mas são mais comuns no intestino grosso. (polipectomia). realizada no seu âmbito. Os indicadores estão identificados e validados, sendo curial que eles possam ser auditados de um modo contínuo no âmbito do Programa de Rastreio.

Uma variável decisiva no êxito do Programa é a adesão que ele suscitar. Esta depende de muitos fatores, mas a credibilidade que ele despertar na população e nos atores que nele intervêm é decisiva. Daí, entender a necessidade de existir em muitos aspetos uma centralização, de forma a garantir a sua coerência. Centralização que não contradiz, antes reforça, a implementação regional preconizada pelo Despacho. A constatação que, paralelamente a esta decisão de implementação de um Programa de Rastreio do Cancro Cancro::Doença na qual as células se multiplicam sem controlo do organismo. As células cancerosas invadem os tecidos e orgãos adjacentes e disseminam-se para outras partes do organismo. do Cólon Cólon::Intestino grosso. e Reto Reto::Segmento final do intestino grosso, conduzindo ao ânus. de base populacional, outras instâncias públicas desenvolvem esforços na revisão da NOC do rastreio oportunístico do Cancro Cancro::Doença na qual as células se multiplicam sem controlo do organismo. As células cancerosas invadem os tecidos e orgãos adjacentes e disseminam-se para outras partes do organismo. do Cólon Cólon::Intestino grosso. e Reto, Reto::Segmento final do intestino grosso, conduzindo ao ânus. é apenas um exemplo das incoerências e inconsistências que devem ser evitadas a bem do êxito da decisão agora tomada.

A aposta na diminuição da mortalidade por Cancro Cancro::Doença na qual as células se multiplicam sem controlo do organismo. As células cancerosas invadem os tecidos e orgãos adjacentes e disseminam-se para outras partes do organismo. do Cólon Cólon::Intestino grosso. e Reto, Reto::Segmento final do intestino grosso, conduzindo ao ânus. que a decisão politica agora tomada encerra, contará com a total disponibilidade e a colaboração da Sociedade Portuguesa de Endoscopia Digestiva. Endoscopia Digestiva::Procedimento que consiste na utilização de tubos flexíveis, com pontas manobráveis pelo executante, conhecidos como endoscópios, que permitem a visualização de imagens do tubo digestivo em monitores de televisão

Doutor António Dias Pereira
Presidente da Sociedade Portuguesa de Endoscopia Digestiva

Publicado originalmente na ENDOnewsletter #2, junho de 2016