Apresentação da Técnica

A dilatação endoscópica, como o nome indica, tem como objetivo dilatar segmentos do tubo digestivo que tenham o seu calibre reduzido (denominadas estenoses). Esta diminuição do calibre habitual pode resultar de alterações do desenvolvimento do indivíduo (causas congénitas), de doenças naturais (neoplásicas e não-neoplásicas) ou devido a intervenções médicas (causas iatrogénicas).
 
A abordagem endoscópica depende, necessariamente, da localização do “aperto” ou estenose, podendo optar-se, por exemplo, por uma Endoscopia Digestiva Alta no caso de estenoses do esófago, ou uma Colonoscopia quando estamos perante uma estenose do cólon. Atualmente é também possível tratar estenoses em locais de acesso endoscópico mais difícil recorrendo a técnicas e acessórios especiais, como é o caso da Enteroscopia para as estenoses do intestino delgado e da CPRE para as estenoses das vias biliares.
 
A dilatação propriamente dita é conseguida através da introdução de um pequeno balão ou de um dilatador rígido após colocação de um fio-guia através do endoscópio.